Catástrofe em Niterói


Fábio Castro

Semana passada o Estado do Rio de Janeiro sofreu muito com as chuvas. Sobre a participação dos médicos de família/equipe do PSF eu recebi este e-mail na lista de discussão da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade:

“…Na verdade a comunidade do Morro do Céu não está “em cima” de um aterro não, o Morro do Céu é uma comunidade que fica no entorno de um lixão que está ainda está em funcionamento em Niterói. A maior parte dos moradores dessa comunidade vive literalmente “do lixo”, ou seja, são catadores de lixo e como vcs podem imaginar, nesta comunidade se encontram altos índices de alcoolismo, doenças infecto-contagiosas e transtornos psiquiátricos.

A comunidade do morro do Bumba é sim atendida pelo PMF e inclusive uma médica de família que cobria a maior parte da área atingida, Ivi Tavares, uma grande amiga minha.

Ela está lá no Bumba desde o desabamento, trabalhando junto com os bombeiros. Ela foi para lá no momento em que soube da tragédia e no início das buscas foi a partir do conhecimento dela da área e dos levantamentos que ela fazia como médica de família que se iniciou o mapeamento das casas que foram soterradas e feitas as estimativas do número de mortos/desaparecidos.

Nesse momento ela continua lá, não só atendendo aos sobreviventes, mas trabalhando no reconhecimento dos corpos, apoiando às famílias e ajudando os legistas.    Denize Ornelas”

O conhecimento da Equipe de Saúde da Família e o cadastro dos pacientes são boas ferramentas para ajudar na assistência a população. O PSF não só era a instituição mais próxima do local, mas também tem o conhecimento para apoiar os trabalhos. Depois ainda continuará a apoiar a  população em questões de estresse pós-traumático, a população terá um maior risco de gastrenterites, problemas mentais como depressão e suicídio, e até problemas no desenvolvimento emocional das crianças. A repercussão de catástrofes em uma comunidade pode se estender por muitos anos como medo de repetição. O MFC deve estar apto a organizar os serviços em caso de catástrofes e articular com a Defesa Civil e outros órgãos envolvidos.

Não sei se a equipe da Dra Ivi é informatizada, mas uma ferramenta que poderia estar disponibilizada é um Sistema de Geoprocessamento (GIS – geographical information system). O GIS descreve a epidemia ou a distribuição do risco de saúde de uma população com uma representação espacial do ambiente e dados da saúde da população. São procedimentos que forneces entrada de dados, armazenamento e recuperação de dados, mapeamento e análise espacial para apoiar a tomada de decisão. Geralmente as equipes têm disponibilidade de mapas das áreas com o cadastro das famílias. Poderia ser a documentação mínima para documentar a população e casas que estão desaparecidas.

O MFC deve estar preparado para situações agudas e um Software de Apoio a Decisão (SAD) podem apoiar o MFC devido a contato da população com doenças emergentes ou negligenciadas, ajudando no diagnóstico e tratamento.

OBS. Uma curiosidade é que esta semana estava conversando com um morador antigo da área de abrangência onde atuo e me contou que há 40 anos atrás a região era um lixão a céu aberto.

Bibliografia

Marcello Dalla, Maria Inez Padula. Repercussões clínicas das mudanças climáticas: abordagem pelo MFC na APS. PROMEF – Programa de Atualização em Medicina de Família e Comunidade – ciclo 4, módulo 4.

2 Respostas to “Catástrofe em Niterói”

  1. Denize Ornelas Says:

    Fabio, só por curiosidade, a Dra. Ivi é informatizada e super interessada em geoprocessamento – ela cursou os primeiros anos da faculdade de Geografia na UFRJ enquanto fazia os primeiros anos de Medicina na UFF, acredita?!!! Não sei se la conhece esse software mas vou mandar seu post pra ela. Abraço!

  2. Evan Ramirez Says:

    Well I searched for the article title and discovered
    this, great read

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: