Consulta de Vigilância


Fábio Castro

Imagine as seguintes situações:

1 – Sou abordando pelo Agente Comunitário de Saúde (ACS) entre as consultas para imprimir um pedido de referência ou exame que foi autorizado, mas o paciente perdeu o pedido e sem o pedido não consegue consultar ou fazer o exame

2 – Durante a reunião de equipe é discutido um caso de um paciente e os dados são depois anotados no prontuário eletrônico

3 – Durante uma reunião do grupo operativo eu abro os prontuários para fazer anotações sobre as informações dadas durante o grupo.

O atendimento clínico consiste automaticamente na presença do paciente durante o atendimento, mas no PSF a consulta clínica no consultório é apenas uma parte do trabalho do médico que também inclui visitas domiciliares, reunião de equipe e grupos operativos, além do trabalho em equipe. Por atender um território delimitado junto com uma equipe, outros trabalhos também passam a fazer parte da rotina.

Um atendimento clínico automaticamente gera uma estatística relacionado com este atendimento, mas se eu entrar no prontuário sem a presença do paciente, como nos exemplos acima, também irá gerar uma estatística de atendimento clínico, mas não teve a presença do paciente.

Uma questão é medir os trabalhos que não são consulta clínica com a presença do paciente. Vou chamar estes trabalhos de Consulta de Vigilância (vem de vigilância em saúde). Partindo do princípio de que a qualidade do serviço seja proporcional a quantidade e consultas de vigilância, por que não medir estes trabalhos separadamente?

Considerando que os ACS são os membros mais numerosos da Equipe, o seu trabalho também deve ser o mais numeroso. Cada visita domiciliar pode ser considerado uma consulta de vigilância, apesar de ser geralmente feita com a presença de uma pessoa. Se informatizado com tecnologia móvel, como PDA ou smartphones, estas consultas dos ACS podem até ter os dados disponíveis no prontuário eletrônico.

Na minha equipe são cinco ACS além de duas auxiliares de enfermagem, uma enfermeira e o médico. No total são nove pessoas. A quantidade de consultas de vigilância é bem maior que a de consultas clínicas e não são consideradas.

Deixei até de citar o trabalho de outros profissionais como os responsáveis pela farmácia anotam em um campo apropriado um alerta citando que o paciente se recusou a pegar uma certa medicação, ou quando algum membro da equipe está analisando dados estatísticos da equipe, mesmo sem fazer anotações no prontuário eletrônico.

Uma resposta to “Consulta de Vigilância”

  1. allan kardec Says:

    queria um programa para psf…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: